Vendas anuais da Ikea sobem para 462 milhões em Portugal

Grupo de mobiliário e decoração planeia abrir mais três estúdios de planificação até a Primavera de 2022, em Setúbal, Coimbra e Leiria

Foto
No ano fiscal em análise, as lojas do grupo estiveram encerradas ao público durante 13 semanas por causa da covid-19 Paulo Pimenta

A cadeia retalhista sueca Ikea, que detém cinco grandes superfícies e três estúdios de planificação em Portugal, registou um aumento de 5% das vendas no seu último ano fiscal (de 2021) – que decorreu entre 1 de Setembro de 2020 e 31 de Agosto de 2021. Nesse período, as receitas da empresa de mobiliário e decoração ascenderam a 462 milhões de euros no país, ficando ainda assim “abaixo dos valores pré-pandemia”, divulgou esta quinta-feira a Ikea Portugal em comunicado.

No período em análise, recorda a gestão da Ikea, a cadeia foi sujeita, como a grande maioria do retalho, ao confinamento e restrições sanitárias por causa da covid-19,  que levou ao “encerramento temporário das lojas ao público durante 13 semanas, e com fortes limitações à actividade no restante período do ano”.

Em consequência do contexto pandémico, parte das vendas foram transferidas para os canais digitais. No caso da Ikea em Portugal, com “a loja online a registar o maior crescimento, tanto em visitação como em vendas”.

“As vendas realizadas neste canal representaram 23% do total, quando, no ano anterior, tinham representado cerca de 15%” explica a gestão em comunicado, acrescentando que “ao longo do ano, o site ikea.pt e a app contaram com 62,7 milhões de visitas, mais 36% do que no ano anterior”.

A curto prazo, a companhia vai manter a aposta nos estúdios de planificação delineada antes da pandemia suspender os planos, “nas cidades de Setúbal, em Novembro, em Coimbra, em Dezembro de 2021, e em Leiria, perspectivado para a Primavera de 2022”. Este tipo de presença existe já em Sintra (alegro Sintra), Cascais (Cascais Shopping) e Seixal (RioSul Shopping).

As lojas maiores da marca em Portugal situam-se na Amadora (a primeira aberta no país), Matosinhos, Loulé, Loures e Braga.

Globalmente, o grupo Ingka, dono da Ikea Portugal, consolidou vendas globais de 34,4 mil milhões de euros, mais 6,3% do que no ano fiscal anterior, com as vendas online a representarem 30% do total (o que compara com 18% um ano antes).