Pedido de libertação do número dois de Rendeiro avaliado amanhã no Supremo Tribunal de Justiça

Defesa de Paulo Guichard alega que a prisão é ilegal porque ainda está pendente uma reclamação para o Tribunal Constitucional. O ex-administrador do BPP foi detido para cumprir uma pena de quatro anos e oito meses por crimes de falsidade informática e de um crime de falsificação de documento agravada, no âmbito do processo relacionado com a adulteração da contabilidade do banco.

Foto
Francisco Romao Pereira

Está marcada para amanhã (quinta-feira, dia 14) às 10h30 uma audição pública no Supremo Tribunal de Justiça (STJ) para avaliar o pedido de habeas corpus para Paulo Guichard, o número dois do ex-banqueiro João Rendeiro no BPP.

Sugerir correcção
Comentar