Jornalistas vigiados pelo Ministério Público “colocaram-se num patamar de impunidade”

Procuradora Andreia Marques insiste em que arguidos sejam julgados pelo crime de violação do segredo de justiça e nega ter violado a lei, alegando que bombas de gasolina também têm videovigilância.

Foto
Os profissionais de informação estão acusados de violação do segredo de justiça

O Ministério Público considera que os dois jornalistas que mandou vigiar para tentar descobrir as suas fontes de informação no caso e-Toupeira se colocaram “num patamar de impunidade”.

Sugerir correcção
Ler 2 comentários