A corda demasiado esticada na saúde

A sucessão de alertas dos últimos dias só pode deixar-nos inquietos quando estamos à beira do Inverno, sabendo nós que ele representa sempre uma pressão extra sobre o SNS e não sabendo nós, ainda, o que mais nos reserva a covid-19.

Os profissionais de saúde estão exaustos. As urgências voltaram a entupir-se com doentes não urgentes. Passado o pior da pandemia, os velhos problemas mantêm-se. Só que as atenções já não estão exclusivamente centradas na gestão de uma crise sem precedentes que obrigou toda a gente a pensar apenas em salvar vidas. E o momento da discussão de um Orçamento do Estado é sempre o mais apetecível para fazer pressão. Seja como for, a sucessão de gritos de alerta, de diferentes pontos do país, não pode ser ignorada por ninguém.