Genebra põe travões a fundo para 2022, mas promete dar espectáculo em 2023

Face às dificuldades com que a indústria se debate, a organização decidiu cancelar o evento pelo terceiro ano consecutivo.

Foto
O Salão Automóvel de Genebra é um dos que apresenta mais novidades Reuters/DENIS BALIBOUSE (Arquivo)

O Salão Automóvel de Genebra (GIMS, na sigla original) não regressa em 2022, cumprindo assim o terceiro ano consecutivo de ausência, após a descoberta do novo coronavírus.

A organização do Comité Permanente do Salão Automóvel Internacional justifica com “questões relacionadas com a pandemia de covid-19”. Questões directas, como as restrições às viagens, já que o evento é provavelmente o mais internacional de todos os relacionados com automóveis pelo facto de ser realizado numa espécie de território neutro. E indirectas, mas prioritárias para a indústria, como a escassez de semicondutores que está a estrangular a produção automóvel (e até a adiar alguns lançamentos).

“Empenhámo-nos muito e tentámos tudo para reactivar o Salão Automóvel Internacional de Genebra em 2022”, garantiu, em comunicado, o presidente do Comité, Maurice Turrettini, lamentando que, “apesar de todos os nossos esforços, temos de enfrentar os factos e a realidade: a situação pandémica não está sob controlo e apresenta-se como uma grande ameaça para um grande evento em espaço interior como o GIMS”.

O CEO do Salão Automóvel Internacional de Genebra, Sandro Mesquita, reforça a ideia de que as condições não estavam reunidas: “Muitos expositores indicaram que as incertezas causadas pela pandemia de covid-19 tornam impossível um compromisso firme com o GIMS 2022”.

A presença de uma marca numa feira deste tipo implica um custo elevado e têm sido muitas as vozes a questionar o retorno, cada vez menor. Além do mais, acrescentou Sandro Mesquita, “é provável que a crise dos chips se arraste para o próximo ano, com implicações financeiras negativas”. 

Sendo um dos mais importantes eventos da indústria automóvel na Europa, o salão realizou-se pela primeira vez em 1905. Sofreu algumas alterações e pausas, tendo sido suspenso em períodos como as guerras mundiais (a última vez antes da pandemia, entre 1939 e 1947). Por isso é que, embora com 116 anos de história, 2023 será o ano da sua 90.ª edição.