Simulações de IRS: poupança chega aos 200 euros, mas não aos salários mais baixos

Novos limites dos escalões descem IRS mesmo para quem ganha menos, mas a redução é tão curta que nem se sente. Desdobramento serve salários do terceiro escalão para cima.

Foto
Simulações apontam para um aumento dos rendimento disponível dos contribuintes Rita Chantre

Depois da revisão do IRS em 2018 se concentrar “especialmente nos rendimentos mais baixos”, o desdobramento de 2022 incide sobretudo “nos rendimentos médios”. As palavras são do secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes, e sintetizam o pensamento do Governo ao desenhar a nova tabela do IRS: aliviar quem está num nível salarial abrangido pelo actual terceiro patamar e acima disso, e não quem ganha menos, porque chegou o momento de baixar o IRS aos contribuintes que não beneficiaram (ou beneficiaram menos) das alterações de 2018.