Uma Sinfonia da Liberdade em nome de todos os despojados de direitos e haveres

Juntos no Soam as Guitarras 2021, Amélia Muge e André M. Santos uniram-se também num disco, Sinfonia da Liberdade, que agora chega às lojas em CD. História de um épico estreado num 25 de Abril, inspirado na tragédia dos refugiados e na luta pela liberdade.

Foto
Amélia Muge e André M. Santos no Soam as Guitarras 2021, em Oeiras CARLOS SANTOS

Nasceu de um desafio e agora chega a CD, depois de já ter sido lançada nas plataformas digitais. Chama-se Sinfonia da Liberdade, com o subtítulo Sobreviveremos, e resultou de uma encomenda da Câmara Municipal de Almada ao guitarrista e compositor André M. Santos (Melech Mechaya, Quarteto de Guitarras de Lisboa) para uma peça comemorativa do 25 de Abril de 2019, data em que se estreou, ao vivo, no Auditório Lopes Graça. Com um percurso entre a música clássica e a popular, André convidou a cantora e compositora Amélia Muge para escrever o libreto, juntando-se-lhe, na gravação, a soprano Ana Tomás e a Orquestra de Câmara Ágora, dirigida pelo maestro Pedro Figueiredo. A chegada do disco às lojas físicas coincide com a recente apresentação de Amélia e André no concerto Pelas Cordas da Guitarra, no passado dia 2, no ciclo Soam as Guitarras, em Oeiras.