Outono eleitoral anima o centro-esquerda europeu. Mas é cedo para falar em ressurreição

Vitórias do SPD na Alemanha e dos trabalhistas na Noruega dão esperança aos partidos sociais-democratas, depois de vários anos fora dos centros de decisão política. Fragmentação do voto pode estar a dar, ainda assim, uma falsa sensação de recuperação.

Foto
Scholz liderou o SPD até à vitória nas eleições na Alemanha e diz que quer “inspirar outros partidos sociais-democratas da Europa” MAJA HITIJ/ EPA

Em política nunca há uma só explicação para uma vitória eleitoral, para uma troca de partido no poder ou para uma mudança de ciclo político. E numa altura em que os eleitores, os partidos e os governos ainda estão a adaptar os seus desejos, as suas necessidades e as suas expectativas a um cenário de crise pandémica e económica, a afirmação acima merece ainda menos discussão.

Sugerir correcção
Ler 13 comentários