Como proteger os glaciares do degelo? Cobri-los com um lençol gigante

Parte do glaciar Helags, na Suécia, foi coberto com um lençol para o proteger do degelo, uma experiência nunca antes feita num país nórdico. E resultou: pelo menos 3,5 metros de altura de gelo foram preservados.

Foto
Reuters/GREG LOCKE

Um lençol utilizado para proteger parte do glaciar Helags no Norte da Suécia, durante o Verão, salvou pelo menos 3,5 metros de altura de gelo de derreter, segundo os organizadores da iniciativa, a primeira do género na Escandinávia.

O aquecimento global está a fazer desaparecer glaciares em todo o mundo. O glaciar da montanha mais alta da Suécia, Kebnekaise, por exemplo, perdeu dois metros de altura só no último ano.

Foto
Início do Outono nas montanhas do norte da Suécia. ANNA RINGSTROM/Reuters

A experiência do lençol de pano foi feita no glaciar Helags, na montanha mais alta da Suécia, a sul do Círculo Polar Árctico. “Cobrimos uma pequena parte do glaciar com uma tela de lã e amido de milho para perceber se conseguíamos que a neve e o gelo derretessem um pouco menos do que o normal”, disse o co-organizador Erik Huss. “Na verdade, este lençol protegeu 3,5 a quatro metros do degelo.”

Erik Huss, licenciado em Geografia e com uma especialização em Glaciologia, de quem partiu esta ideia, ao lado do fotógrafo e aventureiro sueco Oskar Kihlborg, explicou que os glaciares são o melhor indicador do avanço das alterações climáticas. “Os glaciares mostram-nos exactamente como o clima está a mudar, e também o que podemos fazer para proteger o ambiente” disse à Reuters.

Huss e os seus amigos esperam repetir esta experiência a uma escala maior, além dos 40 metros quadrados cobertos em Helags, e envolver investigadores em Glaciologia para uma abordagem mais científica. Estão também em negociações com um fabricante de tecidos sobre a possibilidade de criar um material mais fino, menos pesado.

Oskar Kihlborg e Liza Chashchyna, também parte da organização da iniciativa, posa ao lado de rolos de tecido que cobrirão o glaciar de Helags. ERIK HUSS/Reuters
Erik Huss e a sua equipa estendem o lençol no glaciar de Helags. ANDERS KLAPP/Reuters
ERIK HUSS/Reuters
Liza Chashchyna ao lado do lençol a cobrir o glaciar de Helags. EMIL SODERLUND/Reuters
Fotogaleria
ERIK HUSS/Reuters

De acordo com Huss, isso é fundamental para aumentar a dimensão do projecto, uma vez que, como parte dos esforços para minimizar as emissões de carbono, a lona de tecido biodegradável é arrastada para o topo da montanha com recurso apenas à força humana.

“Trata-se de agir”

Através desta iniciativa, os responsáveis esperam sensibilizar as pessoas em geral para os perigos que muitas sociedades enfrentarão, se os glaciares desaparecerem. “Deixaríamos de ter acesso a água para a agricultura, para a indústria, para milhões de pessoas. Para onde é que elas iriam? Como se abasteceriam de água?

“Há milhares de milhões em todo o mundo que vivem nas encostas de cadeias montanhosas como as Montanhas Rochosas, os Andes, os Alpes e os Himalaias... E que dependem dos glaciares para o abastecimento de água.” Outro objectivo é mostrar que uma acção prática para mitigar o impacto do aquecimento global pode ter resultados. “Trata-se também de agir”, disse Huss.

Cobrir os glaciares para os salvar do degelo é uma técnica já testada noutros lugares, como no glaciar Presena, em Itália, mas nunca antes num país nórdico.