Escolas estão a receber docentes sem habilitação profissional. “Tirar um curso de Engenharia não qualifica ninguém para ser professor”

Dos 3887 horários disponibilizados em oferta de escola, apenas 570 foram ocupados por professores presentes nas diferentes listas de ordenação, o que leva Arlindo Ferreira a concluir que 85% foram preenchidos por professores sem “habilitação” para o cargo. Mas há quem peça cautela com esta interpretação. Ainda assim, directores dizem temer recuo das escolas a práticas do século passado, por causa da escassez de professores.

Foto
Se nada for feito, a falta de professores vai tornar-se gritante dentro de poucos anos, dizem directores das escolas Nuno Ferreira Santos

Apenas cerca de 15% dos 3887 horários disponibilizados em oferta de escola foram ocupados por professores presentes nas diferentes listas de ordenação (onde só estão docentes que fizeram o respectivo estágio profissional). Segundo Arlindo Ferreira, autor do blogue DeAr Lindo, especializado em questões da educação, só 570 daqueles horários disponibilizados na plataforma SIGRHE foram preenchidos por docentes profissionalizados, tendo os restantes 3371 horários, isto é, cerca de 85%, sido ocupados por professores que se candidataram directamente junto das escolas.

Sugerir correcção
Ler 48 comentários