Fritz Kahn regressa aos discos com uma metáfora bíblica para tempos difíceis: Jonah, the Whale

Vinte anos depois do primeiro álbum, surge esta sexta-feira no mercado um novo disco assinado Fritz Kahn and The Miracles, projecto de Gonçalo Serras. Um renascimento.

Foto
Gonçalo Serras/Fritz Kahn a gravar um dos temas do novo disco DR

Há vinte anos lançou um álbum, Fritz Kahn and The Miracles, o mesmo nome do projecto que criara. E depois deixámos de ouvir falar dele. Até agora, quando reaparece com um EP de oito canções, Jonah, the Whale. Falamos de Gonçalo Serras, que como Fritz Kahn and The Miracles, na companhia de outros músicos, ainda foi tocando em festivais como o Super Bock Super Rock, o TMN Garage Sessions ou o Termómetro Unplugged, mas sem ter uma projecção que lhe permitisse continuar desanuviadamente no caminho da música. Ainda assim, uma das 16 canções desse seu álbum de estreia, The party of our lives, valeu-lhe uma menção honrosa em 2006 no International Songwriting Competition, concurso que no júri tem tido nomes como Tom Waits, Coldplay, Sara McLachlan, Garbage, Avicii ou Pat Metheny, entre outros. Jonah, the Whale, o novo disco, serve-lhe de renascimento.

Sugerir correcção
Comentar