Ministério Público quer três polícias julgados no caso das agressões a Cláudia Simões

Mais de um ano depois do sucedido, o Ministério Público proferiu despacho de acusação contra o agente Carlos Canha, que acusa de agredir Cláudia Simões, e outros dois homens na esquadra. O MP quer levar ainda a julgamento outros dois agentes que presenciaram agressões por abuso de poder. Inquérito contra Cláudia Simões foi arquivado.

Carlos Canha foi filmado em cima de Cláudia Simões
Fotogaleria
Carlos Canha foi filmado em cima de Cláudia Simões
Claúdia Simões depois do episódio de alegada agressão de Carlos Canha
Fotogaleria
Claúdia Simões depois do episódio de alegada agressão de Carlos Canha Rui Gaudencio

O Ministério Público (MP) quer levar os agentes Carlos Canha, João Carlos Cardoso Neto Gouveia e Fernando Luís Pereira Rodrigues a julgamento por causa das agressões a Cláudia Simões em Janeiro de 2020. Num despacho de acusação de 30 de Setembro, o MP acusa Carlos Canha dos crimes de ofensa à integridade física qualificada, sequestro agravado, abuso de poder e injúria agravada contra Cláudia Simões. Aos outros dois agentes que estavam no carro aquando as alegadas agressões de Carlos Canha, o MP acusa, cada um deles, de um crime de abuso de poder e de nada fazerem para impedir que Canha agredisse Cláudia Simões. 

Sugerir correcção
Ler 28 comentários