Uma decisão do Tribunal Constitucional que é “uma carta branca para actos ilícitos”

Procuradores da Operação Marquês dizem que forma de contagem da prescrição do crime de corrupção adoptada por Ivo Rosa é uma porta aberta para absolvição dos criminosos de colarinho branco.

Foto
Enric Vives-Rubio

Uma das opções mais controversas de Ivo Rosa para não levar a julgamento José Sócrates e Carlos Santos Silva pelo crime de corrupção baseia-se em ter chegado à conclusão de que este delito estava prescrito.

Sugerir correcção
Ler 2 comentários