Cristiano Ronaldo marca no minuto 95 e colecciona mais um recorde

Na noite que somou o 178.º jogo na Liga dos Campeões, um novo máximo na prova, o internacional português marcou no minuto 95 o golo da vitória do Manchester United.

Foto
EPA/Peter Powell

Se o Benfica se colocou em posição privilegiada na luta pelo apuramento pelos oitavos-de-final da Liga dos Campeões com a retumbante vitória no Estádio da Luz, frente ao Barcelona, o Bayern continuou a passear-se no Grupo E com mais um triunfo que não deixou margem para dúvidas: os bávaros golearam em Munique o Dínamo Kiev, por 5-0, com mais dois golos de Lewandowski. Para Cristiano Ronaldo, a segunda jornada da Liga dos Campeões parecia ser apenas a confirmação de mais um recorde (jogador com mais jogos na Liga dos Campeões), mas no último minuto o português marcou o golo que garantiu o importante triunfo do Manchester United.

Com os dois primeiros lugares do grupo a darem acesso aos oitavos-de-final, acabou por ser um resultado positivo para o Benfica. Após a vitória em Barcelona, o Bayern manteve o registo 100% vitorioso no Grupo E da Liga dos Campeões com uma goleada. Numa noite tranquila para os alemães, Lewandowski marcou os dois primeiros golos do jogo, e, na segunda parte, Gnabry, Sané e Choupo-Moting fecharam os números de um triunfo robusto, em 5-0.

Em Old Trafford, mais um recorde de Cristiano Ronaldo parecia condenado a estar associado a mais uma noite com pouca glória para o Manchester United. Dominados durante grande parte da partida pelo Villarreal, os “red devils” chegar à hora de jogo em desvantagem — golo dos espanhóis marcado por Paco Alcácer —, mas um grande golo de Alex Telles, assistido por Bruno Fernandes, deu novo alento à equipa de Manchester e, no minuto 95, Lingard desviou uma bola no interior da grande área e Ronaldo, com o sentido de oportunidade habitual, juntou a um recorde mais um golo (o 137.º na Champions) que dá a Solskjaer três pontos e um enorme balão de oxigénio.

No outro jogo do Grupo F, a Atalanta não mostrou a habitual veia goleadora, mas um golo de Pessina, no minuto 68, bastou para a equipa de Bérgamo derrotar, em Itália, os suíços do Young Boys.

Nos restantes grupos, destaque para a derrota do campeão europeu. Em Turim, o Chelsea teve mais remates, mais cantos e maior percentagem de posse de bola (66%), mas um golo de Federico Chiesa, no início da segunda parte, garantiu à Juventus a segunda vitória na prova. Apesar das três substituições de uma assentada operadas por Thomas Tuchel, aos 62’, os londrinos não conseguiram evitar o desaire.

Com José Fonte, Tiago Djaló, Xeka e o ex-boavisteiro Angel Gomes a titulares, o Lille foi derrotado em Salzburgo pelo RB (2-1), com dois golos de penálti de Adeyemi, que permitem aos austríacos liderar o Grupo G com mais dois pontos do que o Sevilha e o Wolfsburgo, que empataram a um golo.