Aliados de Trump vão ser ouvidos na comissão de inquérito sobre a invasão do Capitólio

Mark Meadows, Dan Scavino, Steve Bannon e Kashyap Patel são chamados a testemunhar e a fornecer documentos sobre as acções do Presidente dos Estados Unidos durante o dia 6 de Janeiro de 2021.

Foto
O edifício onde funcionam as duas câmaras do Congresso dos EUA foi invadido a 6 de Janeiro ELIZABETH FRANTZ/Reuters

A comissão inquérito da Câmara dos Representantes sobre os acontecimentos de 6 de Janeiro intimou pela primeira vez próximos do ex-Presidente Donald Trump, incluindo Mark Meadows, que era o seu chefe de gabinete, e o seu aliado e antigo conselheiro Steve Bannon. Cartas do presidente da comissão enviadas aos quatro convocados sugerem que estiveram envolvidos nos esforços para alterar o resultado das presidenciais de 2020 que levaram ao motim – os congressistas querem saber mais sobre as acções de Trump até à invasão do Capitólio.

Para além de Meadows e de Bannon, foram intimados o antigo vice-chefe de gabinete de Trump, Dan Scavino, e Kashyap Patel, ex-chefe de gabinete do Pentágono. Foram-lhes pedidos documentos e serão chamados a testemunhar em meados de Outubro.

A comissão está a investigar os factos, circunstâncias e causas do ataque de 6 de Janeiro e questões relacionadas com a transferência pacífica de poder”, descreve a comissão. “Parece ter estado com o Presidente Trump, ou perto dele, a 6 de Janeiro, e que teve comunicações com o Presidente e com outras pessoas a 6 de Janeiro sobre os acontecimentos no Capitólio”, explica o democrata Bennie Thompson, do Mississípi, que dirige os trabalhos da comissão, numa carta dirigida a Meadows.

O ex-membro da Casa Branca será interrogado em particular sobre as suas conversas com os organizadores do comício que precedeu o ataque.

Bannon, por exemplo, será questionado sobre as suas comunicações com Trump no fim de Dezembro e o seu envolvimento na discussão de planos para fazer alterar os resultados que deram a vitória ao Presidente, Joe Biden. “O inferno vai explodir amanhã”, disse Bannon na véspera do motim, segundo cita a comissão.

Coincidindo com a cerimónia de certificação da vitória de Biden na eleição presidencial de Novembro de 2020, uma multidão de apoiantes de Trump invadiu o Capitólio, tentando atacar os congressistas e os senadores, e também o então vice-presidente norte-americano, Mike Pence, que ao não aceitar as ordens de Trump para alterar o resultado passou a ser um alvo da fúria dos apoiantes do ainda Presidente. Cinco pessoas morreram na violência que se seguiu.

Scavino terá dito a membros da Câmara dos Representantes para se recusarem a certificar a eleição de Biden, enquanto Patel esteve envolvido em discussões sobre a segurança do Capitólio durante o motim.

A comissão, que Trump já descreveu como “altamente parcial”, iniciou os seus trabalhos no fim de Julho, integrando sete democratas e dois republicanos – isto depois de os republicanos no Senado terem vetado a criação de uma comissão bipartidária, considerando que não se justificava.