Noite Europeia de Investigadores dedicada à sustentabilidade ambiental

Cientistas, estudantes e curiosos participam na sexta-feira na Noite Europeia de Investigadores em Lisboa, Braga, Coimbra e Évora, dedicada este ano à sustentabilidade ambiental.

Foto
Miguel Manso

A Noite Europeia dos Investigadores que acontece esta sexta-feira é uma iniciativa que “pretende quebrar as barreiras que separam a ciência dos cidadãos e desmistificar a imagem do cientista distante e inacessível. “Ciência para o clima” é o tema da edição este ano em Portugal e que “está alinhado com o Pacto Ecológico Europeu, que propõe que o impacto no clima seja neutro até 2050, através da promoção de iniciativas que protegem o meio ambiente e impulsionam a economia verde, reduzindo a poluição”, refere a organização.

A proposta para a realização desta iniciativa - SciCli, sigla em inglês – aponta para as “dimensões social, económica e ambiental para a sustentabilidade, promovendo a relevância da ciência e da investigação para contribuírem para a neutralidade climática no futuro”. E incluirá grandes segmentos da comunidade científica no envolvimento do público, na comunicação de ciência e as actividades preparatórias que o antecederam.

A programação detalhada encontra-se ‘online’ assim como os programas locais em cada uma das cidades (Lisboa, Braga, Coimbra e Évora) para que quem participe possa “interagir com os investigadores envolvidos na organização da maior festa da ciência em Portugal”.

“Ciência para o Clima” é o tema que serve de ponto de partida para as actividades deste ano, com o objectivo de “sensibilizar os cidadãos, em particular os jovens, para a inovação e a investigação em curso para o desenvolvimento de tecnologias, indústria e transportes verdes, e para preservar ecossistemas e recursos naturais”.

Entre outros objectivos, a Noite Europeia dos Investigadores quer “aproximar os investigadores das comunidades urbanas, possibilitando oportunidades para que essas comunidades expressem suas preocupações e expectativas em relação ao papel da investigação e da ciência”.