Domingo é dia de saber quem entrou na universidade

Na edição deste domingo, o PÚBLICO analisa os resultados deste concurso: quantos novos alunos entraram, que cursos esgotaram, em quais subiram mais as notas de ingresso. Respondemos ainda a algumas das perguntas essenciais desta fase, com um breve guia sobre o que se segue, para orientar alunos e famílias. E fazemos um retrato do estudante do ensino superior em Portugal.

Foto
Gabriel Sousa

Está a chegar a hora: no próximo fim-de-semana os resultados das candidaturas ao ensino superior público deste ano vão ser conhecidos. Há cerca de 64 mil estudantes para 56 mil lugares em universidades e institutos politécnicos. À meia-noite de domingo, dia 26, é conhecida a lista com as notas dos últimos colocados — o que permite a quem concorreu saber se conseguiu ou não um lugar no curso desejado. 

Na edição deste domingo, o PÚBLICO analisa os resultados deste concurso: quantos novos alunos entraram, quantos ficaram de fora, que cursos esgotaram, o que se passou com os mais disputados, em quais subiram (ou desceram) mais as notas de ingresso. Respondemos ainda a algumas das perguntas essenciais sobre o que se segue, com um guia para ajudar a orientar os alunos e as respectivas famílias — por exemplo, que apoios podem ter para estudar? Onde podem encontrar informação? Como e onde procurar alojamento? 

Na página especial sobre o acesso ao ensino superior continuamos a disponibilizar todas as notícias, reportagens e entrevistas relacionadas com o tema, do alojamento estudantil, ao debate sobre o que deve mudar no acesso. E assim será nas próximas semanas.

Para quem no domingo ficar a saber que entrou no curso desejado, as matrículas arrancam a 27 e prolongam-se até dia 1 de Outubro. Para quem não conseguir lugar o caminho não acaba aqui. Há uma 2.ª fase do concurso, que arranca também a 27 de Setembro. Nas listas do PÚBLICO é possível encontrar facilmente as vagas ainda disponíveis, curso a curso, instituição de ensino a instituição de ensino. As candidaturas para a 2.ª fase podem ser entregues até 8 de Outubro. E os resultados são conhecidos a 14.

Desde há 25 anos que o número de candidaturas não era tão alto. A 1.ª fase do concurso nacional de acesso, que terminou a 20 de Agosto, atraiu 63.878 aspirantes a um lugar no ensino superior público. Na sequência da marca histórica, foram acrescentados 3080 lugares nas universidades e politécnicos aos cerca de 53 mil inicialmente fixados.

O reforço extraordinário de vagas foi praticamente transversal às instituições de ensino superior públicas. Apenas uma, o Iscte – Instituto Universitário de Lisboa, não acrescentou nenhum novo lugar à sua oferta inicial, mantendo as 1129 disponíveis.