O Movimento das Coisas é o tema do Doc’s Kingdom 2021

Como sempre no Doc’s Kingdom, a programação é mantida em segredo até ao início do seminário

Foto
Manuela Serra, com o director de fotografia Gérard Collet, na rodagem de "O Movimento das Coisas", na aldeia de Lanheses dr

É sob a égide do único filme de Manuela Serra que decorre este ano o Doc’s Kingdom. O Movimento das Coisas, a longa-metragem completada em 1986 mas que, restaurada pela Cinemateca Portuguesa, só este ano viu estreia comercial, é simultaneamente ponto de partida e mote temático para a edição 2021 do seminário internacional de cinema documental. O Doc’s Kingdom marcou no ano passado os seus 20 anos de existência, reunindo durante cinco dias uma centena de participantes de todo o mundo para ver e debater cinema. 

A decorrer em Arcos de Valdevez entre 1 e 5 de Outubro em co-organização da Apordoc com o Cine-clube local, o programa da edição 2021 presta especial atenção a mulheres cineastas — com a presença, para além de Manuela Serra, de vários nomes mais ligados a práticas artísticas multimédia ou experimentais como a chilena Jeannette Muñoz, a mexicano-americana Naomi Uman ou a portuguesa Sílvia das Fadas. Anuncia igualmente um foco particular sobre obras rodadas em 16mm e sobre a ligação entre cineastas e as comunidades que filmam. No entanto, como sempre no Doc’s Kingdom, a programação é mantida em segredo até ao início do seminário, de modo a que os participantes entrem para cada dia de sessões e debates sem saberem de avanço o que irão ver e se deixam seduzir pelas propostas feitas pela organização em conjunto com os programadores convidados.

Aberto ao grande público e privilegiando a abolição de “fronteiras” entre participantes, o seminário tem uma lotação limitada com preços que vão dos €50 aos €450 (consoante se inclua alimentação e alojamento a cargo do Doc’s Kingdom), e as inscrições podem ainda ser feitas através do site docskingdom.org