A Miss Mundo tem razão

A história recente tornou-o ainda mais necessário quando percebemos que crises como a pandémica ou a ambiental não podem ser resolvidas individualmente e que deixar países para trás é deixar o problema por resolver.

Foi Dag Hammarskjöld, secretário-geral da ONU entre 1956 e 1961, quem um dia escreveu que a Organização das Nações Unidas (ONU) não foi criada “para levar a humanidade ao céu, mas para a salvar do inferno”. Mesmo que à beira de completar uns vetustos 76 anos haja muitos pontos da sua acção e da sua incapacidade de se reformar que fazem desesperar mesmo o mais empedernido universalista, o facto é que o “inferno” que foram as duas guerras mundiais nunca mais se reacendeu, e mesmo quando o mundo viveu dividido em dois blocos a ONU desempenhou um papel importante para evitar que se aniquilassem mutuamente.