A gafe socialista da década

A mentalidade socialista e estatista chegou a um ponto tal que se tornou inconsciente da sua própria cegueira.

O título de gafe socialista da década pode parecer atrevido, mas se aguentar firme até ao final deste texto, caro leitor, talvez me dê razão. A história é esta: o ministro da Educação decidiu celebrar o início de mais um ano lectivo com uma entrevista à agência Lusa. Talvez para fazer esquecer as trapalhadas dos computadores da pandemia que demoraram mais a chegar do que o vírus a ir-se embora, Tiago Brandão Rodrigues surgiu munido de um valor novinho em folha, um número redondo e espectacular, com o qual sonhava fazer lindas manchetes e abrir todos os telejornais. E que número era esse? Quatro algarismos: 6200 euros – o custo anual por cada aluno no sistema educativo português. 6200 euros por ano. 517 euros por mês. Ou, para aquelas famílias que só pagam 11 mensalidades nas escolas privadas, 565 euros mensais.