Pastelarias querem fazer bolos com menos açúcar para vender nas escolas. Ministério não lhes diz como

Indústria dá o exemplo do seu envolvimento no processo que levou à redução do sal no pão para mostrar que teria capacidade de produzir alternativas mais saudáveis para os alunos. Despacho do Governo deixa pouca margem de manobra.

Foto
Nuno Ferreira Monteiro

As padarias e pastelarias que fornecem as escolas querem criar bolos com menor quantidade de açúcar e gorduras e que possam continuar a ser vendidos nos bares das escolas, respondendo às orientações do Governo para que seja fornecida alimentação mais saudável aos alunos. No entanto, o despacho do Ministério da Educação do mês passado sobre a matéria faz uma proibição genérica dos produtos considerados nocivos, identificando-os pelo nome, o que deixa pouca margem para que surjam soluções mais saudáveis, queixam-se os industriais.