Caso Gabrielle Petito: polícia encontra restos mortais que acredita serem da jovem desaparecida

Gabrielle Petito e Brian Laundrie partiram em Julho numa viagem de carrinha que deveria durar quatro meses. Gabby foi dada como desaparecida a 11 de Setembro, quando Laundrie regressou sozinho a casa na carrinha do casal. Neste domingo, a polícia encontrou restos mortais num parque nacional que acredita serem da jovem de 22 anos.

Foto
Gabby Petito, de 22 anos INSTAGRAM GABBY PETITO

Gabrielle Petito e o noivo, Brian Laundrie, iam cumprir um sonho de muitos anos: passar quatro meses a percorrer os Estados Unidos de uma ponta à outra numa carrinha, fazendo paragens em atracções turísticas de vários estados norte-americanos.

Petito queria que a família e os amigos acompanhassem de perto a viagem e as primeiras imagens que foi publicando no Instagram mostram a jovem a sorrir com belas paisagens de parques naturais no fundo da fotografia. O casal chegou mesmo a fazer um vídeo, que publicou no YouTube, para documentar a viagem, mas algo correu mal numa paragem no estado do Utah. Petito foi dada como desaparecida no início de Setembro. A polícia acredita ter encontrado, neste domingo, os restos mortais da jovem, avança o The New York Times.

Uma viagem sem regresso

Petito e Laundrie partiram de Nova Iorque a 2 de Julho e o objectivo era chegarem à outra ponta do país quatro meses depois. Mas, no dia 1 de Setembro, Laundrie regressou a North Port a conduzir a carrinha de Gabby — uma Ford Transit de 2012 — sem a namorada. Laundrie recusou-se, durante vários dias, a explicar o porquê de ter voltado sozinho da viagem e a revelar o paradeiro da namorada.

Pouco depois, no dia 11 de Setembro, a família de Petito participou o desaparecimento às autoridades. A polícia foi a casa de Laundrie para tentar obter informações, mas este recusou-se a prestar esclarecimentos e, algum tempo depois, saiu de casa com uma mochila, dizendo aos pais que ia passar uns dias na reserva natural. Quando foi dito à polícia que Laundrie também estava desaparecido, começaram as buscas, que incluíram vasculhar um vasto refúgio da vida selvagem na Florida, estado onde Petito e Laundrie viviam.

O jovem de 23 anos já foi declarado como “pessoa de interesse” por ter sido a última pessoa a ver Petito antes de esta desaparecer, mas não foi ainda acusado de nenhum crime. O advogado da família, Steven Bertolino, disse na sexta-feira que o paradeiro do jovem “é actualmente desconhecido”. Dias antes, num comunicado, Bertolino disse que aconselhou Laundrie a não falar com as autoridades porque, pela sua experiência, os parceiros costumam ser as pessoas que “concentram todas as atenções em casos como este”.

“O aviso ‘tudo o que disser pode ser usado contra si’ é verdadeiro, independentemente de o meu cliente ter algo que ver com o desaparecimento da Sra. Petito ou não”, disse Bertolino, citado pelo NYT, descrevendo a designação de “pessoa de interesse” como uma “formalidade” que não muda os conselhos que deu ao seu cliente.

Foto
A carrinha onde os jovens viajavam INSTAGRAM

A paragem no Utah

A 12 de Agosto, mais de um mês depois de o casal iniciar a viagem, a polícia de Moab, no Utah, foi chamada a intervir num “problema doméstico”. De acordo com o relatório policial, Laundrie terá tido “uma discussão” com Petito e disse-lhe para se acalmar antes de continuarem a viagem.

Quando a polícia chegou ao local, tanto Petito como Laundrie disseram que estavam noivos e muito apaixonados e que “não desejavam ver ninguém acusado de um crime”. O jovem terá dito a um dos polícias que “os problemas entre os dois tinham aumentado nos últimos dias”.

Ambos afirmaram que o episódio deveria ser classificado como “colapso emocional/mental”, e não como uma agressão física/doméstica. As imagens da câmara de vídeo das fardas dos polícias mostram Petito a chorar no banco de trás da carrinha e a dizer que tinha ansiedade. Ainda segundo o relatório policial, a jovem disse que deu uma bofetada ao noivo porque temia que este “fosse deixá-la em Moab sem boleia”. A polícia descreve Laundrie como a vítima do incidente e aconselhou a que este passasse a noite num hotel, enquanto Petito ficava na carrinha. Nenhum dos dois apresentou queixa.

Foto
Imagens da câmara de vídeo das fardas dos polícias Polícia de Moab

Nos dias seguintes, Gabby Petito, que falava várias vezes ao telefone com os pais, passou a fazê-lo apenas por mensagem, e o último contacto foi no final de Agosto, quando o casal estava na área do Parque Nacional de Grand Teton. Petito foi vista pela última vez no dia 23 quando estava a sair de um hotel em Salt Lake City. A última publicação na conta de Instagram é datada de 25 de Agosto, dois dias depois, e os pais da jovem questionam agora se as últimas mensagens que receberam terão sido realmente escritas pela filha. “Por tudo o que vimos nas fotografias e nos vídeos, mesmo quando falamos com ela, eles estavam a divertir-se muito”, disse ao NYT a mãe de Petito, Nichole Schmidt.

Durante dias, a família da jovem desaparecida implorou aos pais do noivo que lhes dissessem onde ela estava. O advogado da família Petito já veio defender que, ao contrário do que referem as autoridades, não se trata de um duplo desaparecimento, afirmando que só a rapariga está desaparecida, enquanto o namorado está escondido das autoridades.​ Enquanto isso, a polícia dizia-se “frustrada" por não conseguir falar com Laundrie.

Restos mortais encontrados em parque nacional

Desde meados da semana passada, a polícia, agentes do FBI e guardas-florestais procuravam por Petito no Parque Nacional de Grand Teton, em Wyoming, o último paradeiro conhecido da jovem. Enquanto isso, e de acordo com a família, as autoridades procuraram por Laundrie num parque da Florida chamado Reserva Carlton. Na tarde de domingo, a polícia disse que as buscas daquele dia tinham sido encerradas sem novidades a relatar.

Ao fim da tarde de domingo, a polícia anunciou que encontrou restos mortais que acredita serem de Petito no parque nacional do estado de Wyoming, disse o FBI numa conferência de imprensa. “Há algumas horas, restos mortais consistentes com a descrição de Gabrielle (Gabby) Petito foram descobertos”, disse Charles Jones, acrescentando que ainda não foi concluída a identificação forense completa para confirmar que pertenciam à jovem de 22 anos. A causa da morte não foi determinada e a autópsia será realizada na terça-feira.

“Em nome do FBI e dos nossos parceiros, gostaria de expressar as minhas sinceras condolências à família de Gabby”, disse Jones, que não respondeu a perguntas dos jornalistas durante a conferência. “Como todos os pais podem imaginar, este é um momento extremamente difícil para família e amigos. Os nossos pensamentos e orações estão com eles. Pedimos que todos respeitem a sua privacidade enquanto choram a perda da filha.”

Os restos mortais foram encontrados numa área de acampamentos no limite leste do Parque Nacional de Grand Teton. O acampamento permanecerá fechado e qualquer pessoa que esteve naquela zona entre 27 e 30 de Agosto deve entrar em contacto com o FBI. As buscas por Brian Laundrie, de 23 anos, vão continuar.

O caso tem atraído muita atenção mediática e nas redes sociais, com jornalistas a reunirem-se em frente da casa de Laundrie e internautas a vasculharem as contas do casal no Instagram, que retratavam uma “vida de van [carrinha]” nómada e despreocupada.

Na noite de domingo, Joseph Petito, pai de Gabby Petito, publicou uma fotografia da filha no Twitter. “Ela tocou o mundo”, disse ele.

Petito, a mais velha de seis irmãos, trabalhou como técnica de farmácia para poupar dinheiro para a viagem. Conheceu Laundrie na escola secundária, em Long Island, e começaram a namorar depois de terminarem os estudos. Tinham-se mudado há dois anos para a Florida.