Bolsonaro come na rua em Nova Iorque por não estar vacinado

Presidente do Brasil já afirmou mais do que uma vez que não foi vacinado contra a covid-19 e não tem intenções de o ser para já. À entrada para o hotel onde está hospedado, disse aos jornalistas que o seu discurso na Assembleia Geral da ONU será em braile.

Foto
A foto foi partilhada nas redes sociais por Gilson Machado Neto, ministro do Turismo brasileiro INSTAGRAM/ @GILSONMACHADONETO / Reuters

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, foi fotografado no domingo a comer em pé na rua, em Nova Iorque, por não estar vacinado – requerimento para frequentar restaurantes na cidade norte-americana. O chefe de Estado brasileiro deslocou-se até aos EUA para participar na 76ª Assembleia Geral da ONU, a 21 de Setembro, tendo dito em tom irónico que “o [seu] discurso será em braile”.

A cidade de Nova Iorque exige, desde 16 de Agosto, a apresentação de prova de vacinação contra a covid-19 para frequentar locais fechados, como restaurantes, teatros e ginásios. O mesmo se aplica aos líderes mundiais que vão estar presentes no encontro da ONU, embora a organização não tenha autoridade para exigir uma prova de vacinação. O secretário-geral da ONU, António Guterres, já disse que as entradas no edifício vão ser feitas sob declaração de honra.

No entanto, Bolsonaro já afirmou mais do que uma vez que não foi vacinado contra o vírus e não tem intenções de o ser para já. E ao comer no domingo pizza na rua, o Presidente brasileiro contornou a apresentação do comprovativo. A foto foi partilhada nas redes sociais por Gilson Machado Neto, ministro do Turismo, e nela Bolsonaro surge acompanhado por outros ministros.

No mesmo dia, o chefe de Estado brasileiro chegou ao hotel por uma porta alternativa, depois de a assessoria de comunicação ter garantido aos jornalistas que passaria pela entrada principal. Na entrada esperavam-no cerca de dez manifestantes em defesa dos indígenas.

Já na manhã desta segunda-feira, Bolsonaro tomou o pequeno-almoço no hotel, numa área reservada à comitiva brasileira, apesar de ser obrigatório ter o comprovativo da vacinação para consumir no restaurante.

Segundo a Globo, um gerente do restaurante, que não se identificou, afirmou não ter pedido o certificado ao Presidente. Questionado se a medida era válida para todos, o funcionário pediu para a equipa da televisão brasileira sair do local.

Como manda a tradição, o Presidente do Brasil é o primeiro a discursar na Assembleia Geral da ONU. O Governo não comentou oficialmente qual o tema da mensagem de abertura mas Bolsonaro disse em tom irónico aos jornalistas que o esperavam no hotel esta segunda-feira que discursará em braile.