Covid-19: 8,13 milhões com vacinação completa. Certificados de vacinação e de recuperação válidos para viagens aéreas

As principais notícias deste sábado sobre a evolução da pandemia.

Foto
Portugal registou, na sexta-feira, sete mortes e 939 novos casos de infecção Paulo Pimenta

Este sábado, pelas 18h, cerca de 8,13 milhões de pessoas em Portugal tinham vacinação completa contra a covid-19, de acordo com dados da task force que coordena o processo de vacinação. No que respeita a pessoas com pelo menos uma dose, estavam contabilizados 8,49 milhões e o total de inoculações ascendia a 15 milhões.

Ainda sobre a vacinação, os certificados de vacinação e de recuperação emitidos por países terceiros passam a ser reconhecidos para viagens aéreas, deixando de ser exigido teste negativo e quarentena, anunciou este sábado o Governo. “No âmbito das medidas de combate à pandemia da doença covid-19 aplicadas ao tráfego aéreo, o Governo determinou que passam a ser reconhecidos, em condições de reciprocidade e desde que cumpram determinados requisitos, os certificados de vacinação e de recuperação emitidos por países terceiros, a cujos respectivos titulares tenham sido administradas vacinas aprovadas pela Agência Europeia do Medicamento (AstraZeneca, Janssen, Moderna e Pfizer)”.

As recomendações da Direcção-Geral da Saúde (DGS) para o controlo da transmissão da covid-19 “apontam para ventilar os espaços, ter portas e janelas abertas, mas sem medições que comprovem se a ventilação está a ser eficaz ou não”, diz Célia Alves, cientista da Universidade de Aveiro que faz investigação sobre aerossóis atmosféricos. Esta falta de medição da eficácia da ventilação será problemática sobretudo nos meses de Inverno, diz a investigadora do Laboratório Associado Centro de Estudos do Ambiente e do Mar.

Portugal registou, na sexta-feira, sete mortes e 939 novos casos de infecção pelo coronavírus SARS-CoV-2, de acordo com os dados da Direcção-Geral da Saúde, divulgados este sábado. Há menos 17 pessoas internadas nos hospitais portugueses, contabilizando-se agora um total de 457 pacientes hospitalizados com covid-19. Há também menos sete pessoas com a doença em unidades de cuidados intensivos, num total de 90.

O Estado pagou até ao momento mais de 21,1 milhões de euros de subsídio extraordinário de risco atribuído no âmbito do combate à pandemia. O suplemento, criado em sede de Orçamento do Estado para 2021, é atribuído aos profissionais que desempenham actos directos e maioritariamente relacionados com pessoas infectadas ou suspeitas de estarem infectadas pelo SARS-CoV-2.

Para compensar o período da pandemia, o Governo decidiu adoptar o regime de casa aberta utilizado na vacinação para desbloquear os atrasos no processo de renovação e do cartão de cidadão e do passaporte, numa reunião realizada esta sexta-feira, soube o PÚBLICO. O sistema funcionará aos sábados, durante oito semanas, entre as 8h e as 22h, já a partir de dia 25 de Setembro. O objectivo é que as pessoas se dirijam aos espaços em que este regime funcionará, de modo a levantarem ou pedirem a renovação do cartão do cidadão ou do passaporte.

Pelo mundo, a Itália relatou 51 mortes relacionadas com o novo coronavírus, enquanto a contagem diária de novas infecções subiu ligeiramente para 4578. O Reino Unido registou 164 mortes e 30.144 novos casos por covid-19, este sábado — os novos dados significam que as mortes nos últimos sete dias aumentaram 2% na semana anterior.

Em França, cerca de 80.000 manifestantes, dos quais 6000 em Paris, protestaram este contra o passe sanitário em França pelo décimo sábado consecutivo, segundo o ministério do Interior. Isto acontece no dia em que o país contabiliza mais 7414 novos casos de covid-19. Com Lusa