Taliban acabam com Ministério dos Assuntos da Mulher e repõem o da Promoção da Virtude e Prevenção do Vício

Tal como na anterior passagem dos taliban pelo Governo afegão, o ministério será responsável por punir violações à lei islâmica. Regresso às aulas é só para rapazes.

Foto
Comportamentos das mulheres terão de respeitar a lei da sharia WANA NEWS AGENCY / Reuters

Os taliban, no poder no Afeganistão, extinguiram o Ministério dos Assuntos da Mulher e substituíram-no pela pasta da Promoção da Virtude e Prevenção do Vício. As funcionárias que trabalhavam no antigo ministério dizem ter sido expulsas do edifício.

A troca foi formalizada na sexta-feira, com a aplicação de uma inscrição na fachada do prédio em Cabul onde se pode ler “Ministérios da Oração e Orientação e da Promoção da Virtude e Prevenção do Vício”, de acordo com fotografias consultadas pela Reuters.

Este ministério já existia durante o anterior período em que os taliban estiveram no poder no Afeganistão, nos anos 1990. A mudança contraria as promessas de moderação feitas pelos dirigentes do grupo extremista que voltou a controlar o país na sequência da retirada militar dos EUA e dos seus aliados no mês passado.

Durante o período anterior de governação dos taliban, o Ministério da Promoção da Virtude e Prevenção do Vício era a instância responsável por supervisionar os comportamentos dos cidadãos, zelando pela aplicação estrita da sharia, a lei islâmica, que incluía o vestuário, por exemplo, e cujas violações eram punidas com açoitamentos em público e até execuções.

As funcionárias que trabalhavam no anterior Ministério dos Assuntos da Mulher foram impedidas de regressar ao trabalho durante as últimas semanas, até que o edifício foi encerrado na quinta-feira, de acordo com uma testemunha ouvida pela Reuters.

“Sou a única provedora da minha família. Sem haver ministério o que vão agora fazer as mulheres afegãs”, disse uma antiga funcionária.

A composição do Governo afegão não inclui nenhuma mulher.

Os taliban também anunciaram a reabertura das escolas de ensino básico e secundário, mas apenas para rapazes – anteriormente foi anunciado que o ensino misto voltou a ser proibido.

Recentemente, as mulheres passaram a ser obrigadas a usar o véu islâmico nas universidades e a estudar separadas dos homens.