Rio sobre anúncio de maternidade: “Macacos me mordam se isto é verdade”

“Não tenho memória de ter visto numa eleição recente um desplante e um descaramento desta ordem, a prometer, a prometer a prometer”, criticou Rui Rio, insistindo na ideia de que António Costa e o PS “continuam a fazer uma campanha com base em promessas e milhões”.

Foto
Rui Rio andou esta manhã em campanha em Portalegre LUSA/JOSÉ COELHO

O líder do PSD disse ter ficado chocado com o anúncio do secretário-geral e primeiro-ministro sobre a viabilização, para breve, da maternidade de Coimbra, criticando o “desplante” de tantas promessas nesta campanha eleitoral das autárquicas.

Rui Rio falava aos jornalistas, esta manhã, em Portalegre, numa acção de campanha em que assumiu não acreditar no anúncio de António Costa por já ter sido uma promessa quando tomou posse em 2015 e que foi repetida por Marta Temido quando era candidata a deputada. “Não realizam maternidade nenhuma e ontem o primeiro-ministro/líder do PS, na sua dupla função, aparece em Coimbra e diz que, nas próximas 3 semanas, ‘nós fazemos a maternidade’. Agora podia quase parafraseá-lo: “Macacos me mordam se isto é verdade. Como é evidente não é verdade. (…) Eu acho que os macacos lhe vão morder”, afirmou o líder social-democrata.

“Não tenho memória de ter visto numa eleição recente um desplante e um descaramento desta ordem, a prometer, a prometer a prometer”, criticou, insistindo na ideia de que António Costa e o PS “continuam a fazer uma campanha com base em promessas e milhões”.

Na passada terça-feira, o líder socialista tinha usado a expressão, durante um comício a Aveiro, para se referir aos fundos europeus. “Macacos me mordam se não somos capazes de ir buscar não só o que já decidimos, como os mais 2.300 milhões de euros que podemos ir buscar”, de empréstimo”, afirmou António Costa.

Questionado sobre se fez sentido o eurodeputado Paulo Rangel queixar-se à Comissão Europeia sobre o uso do Plano de Recuperação e Resiliência na campanha do PS, Rui Rio disse essa é uma matéria que tem constado dos seus discursos. “Tudo aquilo que tenho vindo a dizer não é outra coisa. O dr. António Costa não tem feito outra coisa do que dizer que tem não sei quantos milhões para ali, e prometer aquilo que mesmo que sabe que não pode realizar”, afirmou. Rui Rio apontou, no entanto, coerência ao primeiro-ministro ao ficar em silêncio sobre a deslocalização do Tribunal Constitucional de Lisboa para Coimbra, mas acusou o PS de “eleitoralismo” ao viabilizar a proposta do PSD no Parlamento.