Sp. Braga tenta fazer em Belgrado o que ninguém faz há 46 jogos

Equipa de Carlos Carvalhal vai, esta quinta-feira, defrontar o Estrea Vermelha, segundo classificado da Liga sérvia e o clube mais titulado daquele país. Na conferência de imprensa de antevisão da partida, o técnico dos minhotos garantiu que existe muito respeito pelo adversário, mas garante que não teme ninguém.

Foto
Equipa de Carlos Carvalhal joga esta quinta-feira com o Estrela Vermelha no primeiro jogo da fase de grupos da Liga Europa LUSA/HUGO DELGADO

Foi na quarta-feira que arrancou a edição 2021/22 da Liga Europa, mas é apenas nesta quinta-feira que o Sp. Braga inicia a sua caminhada na prova, diante do Estrela Vermelha (17h45), no Estádio Rajko Mitić , na primeira jornada da fase de grupos.

Como adversários, os bracarenses vão ter pela frente um clube com história no futebol da Sérvia. É, de resto, o emblema daquele país mais titulado com 32 campeonatos e 25 taças nacionais. Mas as conquistas também se estendem ao futebol internacional, tendo arrecadado uma Liga dos Campeões e uma Taça Intercontinental na época 1990/1991.

No ranking da UEFA, o Estrela Vermelha está mesmo à frente dos “minhotos” (41.º e 43.º lugar respectivamente) e, se olharmos para as campanhas que ambos os clubes estão a fazer actualmente a nível interno, conclui-se que os sérvios também “levam vantagem”. 

A equipa de Carlos Carvalhal está a fazer um início de temporada um pouco abaixo do esperado e segue em sexto lugar da I Liga com oito pontos (duas vitórias, dois empates e uma derrota). No último encontro a contar para o campeonato português os “arsenalistas” não foram além de um empate no terreno do Paços de Ferreira (0-0), depois de na jornada anterior terem terminado também com um nulo na recepção ao V. Guimarães.

Já o Estrela Vermelha chega ao arranque da Liga Europa com outra motivação. À nona jornada do campeonato sérvio, a formação orientada por Dejan Stankovic é segunda classificada com 19 pontos, menos dois que o líder Partizan, com seis vitórias seguidas.

E antes da recepção ao Sp. Braga no dia de amanhã, os sérvios vêm de uma vitória folgada por 3-0 diante do Proleter Novi Sad. Se olharmos para os últimos encontros do campeonato sérvio e do play-off da Liga Europa, o Estrela Vermelha soma cinco triunfos consecutivos. Ainda assim, nos confrontos entre as duas equipas, as estatísticas são mais favoráveis ao Sp. Braga: em três jogos, os minhotos venceram por uma ocasião e empataram por duas vezes.

Na antevisão do encontro desta quinta-feira, Carlos Carvalhal, treinador do Sp. Braga, sublinhou que o clube joga sempre para vencer e que um empate não seria um bom resultado.

“O Sp. Braga não entra em nenhum campo para empatar, mas sim para vencer. Amanhã vamos respeitar um adversário difícil, que joga no seu campo, que está invicto em casa há 46 jogos. É um grande desafio, mas nós gostamos de grandes desafios e vamos estar à altura dele”, referiu.

O técnico de 55 anos destacou que há muito respeito pelo Estrela Vermelha, mas garantiu também que não temem ninguém. “Nós respeitamos o adversário e não tememos ninguém. É uma equipa boa, com bons jogadores individuais, quase todos internacionais e muito experientes que valem pelo seu todo. Temer não tememos ninguém”, frisou.

Já Dejan Stankovic, treinador do Estrela Vermelha, deixou rasgados elogios aos bracarenses. “Para mim é o quarto clube de Portugal. É uma equipa que, historicamente, está habituada a jogar na Europa e em 2010/11 jogou a final da Liga Europa com o FC Porto. Tem muitos jogadores talentosos, portugueses e brasileiros, e um grande ponta-de-lança, o espanhol Abel Ruiz. É uma equipa ofensiva e muito veloz”, afirmou, mas também deixou o aviso. “Respeitamos muito o Sp. Braga, mas não temos medo. Sobretudo em nossa casa”. 

Na lista dos 23 jogadores convocados por Carlos Carvalhal para o encontro desta quinta-feira, diante do Estrela Vermelha, a contar para o grupo F, destaque para o regresso do defesa Nuno Sequeira que estava lesionado desde 7 de Agosto e para as ausências de Iuri Medeiros e André Castro.