Liderança militar dos EUA receou que Trump provocasse uma guerra com a China

O chefe do Estado-Maior das Forças Armadas dos EUA, o general Mark Milley, prometeu ao homólogo chinês que o avisaria com antecedência se o Presidente norte-americano ordenasse um ataque, segundo um novo livro do jornalista Bob Woodward.

Foto
O general Mark Milley foi uma escolha pessoal de Donald Trump Reuters/YURI GRIPAS

Um ano depois de ter tomado posse como chefe máximo das forças armadas dos EUA, em Setembro de 2019 — depois de ter caído nas graças do Presidente Donald Trump e contra a vontade do secretário da Defesa da altura —, o general Mark Milley telefonou ao seu homólogo chinês para o tranquilizar: apesar de tudo o que estava a acontecer nos EUA nos dias que antecederam a eleição presidencial de Novembro de 2020, o general Li Zuocheng podia ter a certeza de que a China não seria apanhada de surpresa num ataque ordenado por Trump.