Coreia do Norte lança dois mísseis balísticos e desafia a vizinhança

Lançamentos acontecem poucos dias depois de Pyongyang ter disparado vários mísseis de cruzeiro de longo alcance. Seul também disparou míssil balístico, a partir de um submarino.

Foto
Televisões sul-coreanas noticiaram ensaios balísticos do país vizinho KIM HONG-JI/Reuters

O Exército da Coreia do Sul revelou que a vizinha Coreia do Norte lançou dois mísseis balísticos a partir da sua costa Leste ao início da tarde desta quarta-feira (madrugada em Portugal continental). Os testes com aquele tipo de armamento violam as resoluções das Nações Unidas e surgem poucos dias depois de o regime de Kim Jong-un ter anunciado que testou vários mísseis de cruzeiro de longo alcance.

“A Coreia do Norte disparou dois mísseis balísticos não-identificados a partir da sua região central interior e na direcção da costa Leste. Os serviços de informação da Coreia do Sul e dos Estados Unidos estão a levar a cabo uma análise detalhada para obterem mais informações”, informou o Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas sul-coreanas (JCS), citado pela Reuters.

“Estamos a par do lançamento dos mísseis e estamos em consultas próximas com os nossos aliados e parceiros. Ainda que tenhamos avaliado que este evento não apresenta uma ameaça directa aos funcionários norte-americanos no território, ou aos nossos aliados, o lançamento dos mísseis realça o impacto desestabilizador do programa ilícito de armamento da Coreia do Norte”, acrescentou o Comando dos EUA no Indo-Pacífico, em comunicado.

Yoshihide Suga, primeiro-ministro do Japão, também reagiu aos testes norte-coreanos, catalogando-os como “ultrajantes” e dizendo que são uma ameaça à segurança na região.
Segundo o JCS, os mísseis movimentaram-se a uma velocidade de cerca de 800 quilómetros por hora e atingiram uma altitude máxima de 60 quilómetros.

Nesta quarta-feira também foram realizados ensaios balísticos na Coreia do Sul. A Casa Azul (sede do poder executivo e residência oficial do Presidente do país) anunciou que foi testado, com sucesso, o lançamento de um míssil balístico a partir de um submarino.

As resoluções do Conselho de Segurança da ONU não proíbem a Coreia do Norte de testar mísseis de cruzeiro, apenas mísseis balísticos, por considerá-los mais perigosos e capazes de atingir distâncias mais longas. O regime norte-coreano é alvo de sanções internacionais por causa do desenvolvimento do seu programa nuclear.

A última vez que Pyongyang testou armas balísticas foi em Março deste ano, quando disparou dois mísseis de curto alcance para o Mar do Japão. Em 2017 testou mesmo, com sucesso, o lançamento de um míssil intercontinental que, segundo os especialistas, pode ter capacidade para carregar uma ogiva nuclear e atingir a Costa Oeste dos EUA. 

Os ensaios norte-coreanos dos últimos dias acontecem numa altura em que as discussões entre Kim e os sul-coreanos e norte-americanos sobre a desnuclearização da península coreana estão praticamente bloqueadas. Há cerca de um mês, a Coreia do Norte prometeu responder aos exercícios militares conjuntos de Seul e Washington na região.

Wang Yi, ministro dos Negócios Estrangeiros da China – aliada da Coreia do Norte – encontra-se mesmo em Seul, para conversar com o Presidente sul-coreano, Moon Jae-in, sobre a questão nuclear norte-coreana, entre outros temas.