Portugal tem quatro mestrados em gestão entre os melhores do mundo

Faculdade de Economia da Universidade do Porto entra no ranking do Financial Times, onde já figuravam outras três escolas portuguesas. Nova SBE continua a ocupar a melhor posição em 2021.

Foto
Daniel Traça, director da Nova SBE Rui Gaudencio

Portugal tem quatro escolas no ranking do Financial Times dos melhores mestrados em gestão de 2021. A Nova School of Business and Economics (SBE) continua a ser a faculdade portuguesa mais bem posicionada, mas este ano, além da Católica e do ISCTE, o mestrado da Faculdade de Economia do Porto (FEP) também passou a figurar na lista dos 100 melhores do mundo.

O ranking do Financial Times avalia critérios como o nível salarial dos antigos alunos, a empregabilidade ou a progressão na carreira e é uma forma de as faculdades se promoverem junto dos alunos e a nível internacional. Em 2021, a lista voltou a ser liderada pela Universidade de St. Gallen, na Suíça, a HEC Paris continuou a ocupar o segundo lugar e a University College de Dublin subiu à terceira posição.

Olhando para Portugal, a Nova SBE continua a ser a mais bem posicionada, ocupando o 23.º lugar; seguida da Católica Lisbon School of Business and Economics, no 45.º lugar; da ISCTE Business School, no 86.º lugar; e da Faculdade de Economia do Porto, que entrou para a 98.ª posição.

A Nova SBE destaca-se como a faculdade portuguesa cujos alunos, num prazo de três anos, atingem o nível salarial mais elevado e apresenta também bons resultados ao nível das oportunidades de carreira em mercados internacionais. Comentando os resultados, Daniel Traça, director da Nova SBE, considera que a posição alcançada “destaca a Nova SBE como a escola de negócios número um em Portugal” e coloca-a “no Top 25 das melhores business schools do mundo”, realçando a capacidade de atractividade da escola para alunos internacionais.

Numa nota enviada às redacções, o director da FEP, José Varejão, considera, por seu turno, que a entrada para a lista elaborada pela publicação britânica “é o resultado do trabalho que toda a escola tem vindo a fazer no sentido da sua renovação e internacionalização”. “Trata-se de mais um reconhecimento que nos estimula a continuar a trabalhar pela qualidade da formação dos nossos estudantes e das suas carreiras”, destacou.

Entre os critérios mais valorizados pelo Financial Times na análise ao mestrado da FEP estão o aumento salarial após a conclusão do curso e as carreiras internacionais dos seus diplomados.