Uma máscara de Beethoven e outras miudezas da vida

Discreta direcção de Natália Luiza e desempenho irrepreensível de Teresa Faria.

Foto
susana monteiro

Ela é uma. Uma actriz que são várias personagens, várias vidas e experiências e desejos e frustrações temperadas por alguns momentos de felicidade e uma pitada de esperança. A vida como ela é, na sua multiplicidade de opiniões, na sua complexidade, na sua rapidez que às vezes parece maior que a da luz, na sua injustiça desbobinada por um enredo que prefere o simplismo à simplicidade, felizmente posto em cena de maneira lírica e elegante pela discreta direcção de Natália Luiza e pelo seu sereno desenho de luz que realça o atraente espaço cénico criado por Beatriz Bagulho para o desempenho irrepreensível de Teresa Faria.