Senol Gunes abandona o comando da selecção da Turquia

Goleada sofrida diante dos Países Baixos foi a gota de água. Decisão foi tomada de comum acordo.

Foto
Senol Gunes Reuters/OZAN KOSE

O técnico Senol Gunes abandonou o cargo de seleccionador da Turquia, depois da goleada sofrida nos Países Baixos, por 6-1, na fase de apuramento para o Mundial2022, anunciou nesta sexta-feira a Federação Turca de Futebol (TFF).

“Após uma reunião entre a direcção da TFF e Senol Gunes, foi decidido de comum acordo finalizar o contrato. Agradecemos todo o trabalho realizado e desejamos o melhor para o seu futuro”, lê-se num curto comunicado do organismo.

Gunes, que ocupava o cargo desde 2019, deixa a Turquia no terceiro lugar do Grupo G de qualificação para o próximo Campeonato do Mundo, com 11 pontos, a dois dos Países Baixos e da Noruega, todos com seis jogos.

Antes da goleada sofrida em Amesterdão, o técnico, de 69 anos, já tinha sido muito criticado na imprensa desportiva devido à campanha na fase final do Euro2020, em que foi a Turquia foi eliminada na fase de grupos.

Esta foi a segunda passagem de Senol Gunes pelo comando da selecção turca, após ter ocupado o cargo de seleccionador entre 2000 e 2004, tendo nesse período sido responsável pelo maior feito do futebol do seu país, ao alcançar um terceiro lugar no Mundial2002, que decorreu na Coreia do Sul e no Japão.