Rui Moreira: “Qualquer contratempo pode levar a que um idílio acabe subitamente”

O presidente da Câmara do Porto recandidata-se a um terceiro mandato porque a pandemia comprometeu a conclusão de um conjunto de projectos para a cidade. Confirma o convite do PSD para liderar a lista e nega um pacto de não agressão com António Costa relativamente às autárquicas.

rui-moreira,eleicoes-autarquicas,camara-porto,rendimento-social-insercao,politica,ps,
Fotogaleria
Paulo Pimenta
rui-moreira,eleicoes-autarquicas,camara-porto,rendimento-social-insercao,politica,ps,
Fotogaleria
Paulo Pimenta
rui-moreira,eleicoes-autarquicas,camara-porto,rendimento-social-insercao,politica,ps,
Fotogaleria
Paulo Pimenta
rui-moreira,eleicoes-autarquicas,camara-porto,rendimento-social-insercao,politica,ps,
Fotogaleria
Paulo Pimenta
rui-moreira,eleicoes-autarquicas,camara-porto,rendimento-social-insercao,politica,ps,
Fotogaleria
Paulo Pimenta

A gestão do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) é uma das preocupações de Rui Moreira que diz que o PRR vai servir mais para tentar resolver os problemas estruturais na organização do Estado do que contribuir para uma verdadeira alteração do modelo de desenvolvimento do país. A descentralização, o convite do PSD e o futuro são outros dos temas numa entrevista em que o candidato independente revela que vai abandonar a política activa no final do novo mandato.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários