Todas as regiões reduzem transmissão do vírus, com excepção do Norte

O Alentejo e a Madeira foram as duas regiões que reduziram o R(t) para menos de 1, tendo a região continental baixado de 1,02 para 0,98 e a região autónoma de 1,08 para 0,82.

Foto
A região Norte é a única que apresenta R(t) superior a 1 Paulo Pimenta

Todas as regiões do país registaram uma redução do índice de transmissibilidade R(t) do vírus SARS-CoV-2 nos últimos dias, com excepção do Norte, que é a única que apresenta um valor superior a 1.

Segundo o relatório sobre a curva epidémica do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) hoje divulgado, a região Norte registou uma média a cinco dias do R(t) — que estima o número de casos secundários de covid-19 resultantes de uma pessoa infectada — de 1,01.

Já o Centro passou de um R(t) de 1,10 para 1,0, tendo-se registado em Lisboa e Vale do Tejo uma ligeira redução neste indicador de 0,94 para 0,93, indicam os dados do INSA.

O Alentejo e a Madeira foram as duas regiões que reduziram o R(t) para menos do limiar de 1, tendo a região continental baixado de 1,02 para 0,98 e a região autónoma de 1,08 para 0,82.

De acordo com o relatório do INSA, no Algarve este índice encontra-se agora fixado em 0,91, quando na semana anterior estava nos 0,95, e os Açores registam 0,71, o mais baixo entre as várias regiões do país.

“Verifica-se que Portugal apresenta uma taxa de notificação acumulada de 14 dias entre 240 a 479.9 casos por 100 mil habitantes, com tendência decrescente. Na mesma situação que Portugal estão Chipre, Grécia, Islândia e Espanha”, adianta ainda o INSA.

A nível nacional, Portugal apresentou uma média a cinco dias de 1905 infecções, uma redução face aos 2.175 casos diários registados na semana anterior.