A Ria de Aveiro acaba de ganhar um navio-hotel e está prestes a soltar amarras

O Costa do Sal irá cumprir um cruzeiro por semana. No cais, em pleno Canal de Mira, na Costa Nova, funcionará como hotel, restaurante e bar.

murtosa,sal,ilhavo,fugas,aveiro,turismo,
Fotogaleria
Nelson Garrido
murtosa,sal,ilhavo,fugas,aveiro,turismo,
Fotogaleria
Nelson Garrido
murtosa,sal,ilhavo,fugas,aveiro,turismo,
Fotogaleria
Nelson Garrido
murtosa,sal,ilhavo,fugas,aveiro,turismo,
Fotogaleria
Nelson Garrido
Fotogaleria
Nelson Garrido
Balsa
Fotogaleria
Nelson Garrido

A recepcionista parece estar já habituada à curiosidade de grande parte daqueles que passam junto ao cais e não conseguem evitar perguntar se o navio irá navegar. A resposta está na ponta da língua, juntamente com o convite para subirem ao deck e usufruírem do bar-esplanada que já se encontra aberto ao público. O Costa do Sal acaba de atracar no Canal de Mira, na Costa Nova (junto ao cais dos pescadores) onde irá operar como navio-hotel e restaurante – além do bar, que se encontra em funcionamento desde a passada terça-feira. Em breve, começará, também, a realizar cruzeiros semanais ao longo da ria, desde a Costa Nova, em Ílhavo, até à Torreira, na Murtosa.

Esta nova oferta turística surge pelas mãos da Black and Blue, uma empresa familiar que, com este investimento, se estreia na área do turismo. “Como residimos na zona há mais de 20 anos, achamos que a Ria de Aveiro tem um potencial enorme”, enquadra Graciela Nogueira, administradora da empresa que decidiu apostar num produto ainda inexistente na região. Adquiriram e requalificaram um navio que tinha estado a operar no Douro – o Invicta, que fez parte da frota da Douro Azul – e adaptaram-no para um conceito de “boat lounge hotel”.

Para já, o Costa do Sal irá contar com 24 quartos – a empresa perspectiva alargar esse número numa segunda fase -, que ajudarão a resolver o problema da “falta de alojamentos e camas” nas praias ilhavenses, nota Graciela Nogueira. A abertura dos quartos, bem como do restaurante, deverá ocorrer antes do final do mês. Antes disso, a empresa já estará a aceitar reservas para ambos os serviços, assim como para os cruzeiros.

Foto

“As viagens na ria irão acontecer uma vez por semana, possivelmente ao sábado”, desvenda a administradora da Black and Blue. Uma proposta que pode vir a ser também integrada num programa mais abrangente. “Estamos a pensar ter um pacote de fins-de-semana, com duas noites de alojamento e o almoço durante o cruzeiro, com um valor na ordem dos 500 euros, para duas pessoas”, revela, ainda, aquela responsável.

Sem adiantar quais os valores do investimento, Graciela Nogueira acredita que o Costa do Sal tem tudo para ser um novo motivo de atracção à região e até ajudar a combater a sazonalidade daquela praia. “Já aqui apareceram uns turistas espanhóis a perguntar se vamos estar abertos no Natal porque querem cá vir e ficar alojados no navio”, exemplifica. A proposta, assevera, passa por contribuir para o aumento de turismo na região, ajudando também os restantes negócios da zona. No restaurante, por exemplo, procurarão “fugir ao que já existe nos restaurantes à volta, porque são bons e há espaço para todos”, aponta.

Foto

Enquanto a sala com capacidade para 48 pessoas não abre portas, fica o convite para petiscar no bar-esplanada, igualmente com os olhos postos nas águas da ria. Ostras ao natural (2,2 euros a unidade), Camarão em Tempura de Côco (9,5 euros) e Hambúrguer de Bacalhau (9 euros) são algumas das propostas apresentadas pelo chef Tony Martins, que também assumirá a coordenação do restaurante. A carta de bebidas também é extensa e vai desde os sumos naturais (a partir de 2,80 euros) e cervejas (a partir de 2,30 euros) até aos gins (a partir de 7 euros).

Tudo isto sem esquecer, segundo garante Graciela Nogueira, as questões ambientais. “Vamos estar quase sempre em terra, ligados às infra-estruturas de saneamento, e a cumprir todas as regras em matéria de resíduos. Aliás, se não cumpríssemos todas essas regras certamente que não teriam licenciado a nossa actividade”, afiança a administradora, desvalorizando, também, algumas críticas que têm sido apontadas ao navio nas redes sociais. “Sempre que há um projecto novo, a reacção é essa, mas nós estamos aqui para fazer o nosso melhor”, argumenta.