Juízas “invadiram” os tribunais. Serão precisas quotas para os homens?

Percentagem de mulheres já atinge quase 70% na primeira instância, fenómeno que se inverte no Supremo. Artigo em revista da especialidade sugere utilização da lei da paridade, que foi criada para a classe política.

Foto
Sindicatos cépticos quanto à imposição de quotas de género na justiça Nelson Garrido

O fenómeno é bem conhecido: há cada vez mais mulheres a abraçar a magistratura. Nos tribunais de primeira instância os juízes são já só pouco mais de 30%, ao contrário do que sucede no Supremo Tribunal de Justiça, onde os homens ainda são o dobro das mulheres.