O Congo sou eu

O Solilóquio do Rei Leopoldo, de Mark Twain, agora reeditado, é uma denúncia do genocídio promovido por um rei que tinha um quintal em África 76 vezes maior que o seu país. Um cruel monarca absoluto que explorava a riqueza e plantava sepulturas.

Foto
DEA/BIBLIOTECA AMBROSIANA/Getty Images

O busto de Leopoldo II em Ostende foi roubado em Julho. Várias vezes no passado recente havia sido vandalizado, agora esfumou-se. O burgomestre, Bart Tommelein, escandalizou-se porque não é assim que se discute de forma útil a descolonização, sem explicar como se discute civilizadamente quando se continua a homenagear nas ruas da cidade o rei Leopoldo II, responsável pela morte de dez milhões de africanos.

Sugerir correcção
Ler 4 comentários