Pela fresca

O hábito das pessoas se juntarem, na rua, em frente às portas de casa, depois das horas de maior calor, continua vivo em algumas zonas do país.

Há uma expressão, que vejo ser utilizada essencialmente no Alentejo, que define na perfeição alguns dos dias mais quentes de Verão. Quando duas pessoas se cruzam e uma delas exclama “está calma!”, refere-se ao imenso calor, àquela hora, depois do almoço, em que não se vê vivalma, como se existisse qualquer coisa que impedisse o movimento, um estado de letargia, a impressão de uma canícula sem remissão que torna tudo inerte.