O céu abateu-se sobre o Tennessee e pelo menos 21 pessoas morreram

Entre os mortos estão dois bebés de sete meses. Há zonas onde a precipitação foi de 430 milímetros. A chuva fez o rio Piney subir dez metros acima do leito, mais 3,5 metros do que o último recorde.

Foto
Fotografia retirada do Twitter de The Nature Boy @CJWalp182

Graves inundações no centro do estado norte-americano do Tennessee mataram pelo menos 21 pessoas, entre elas dois bebés de sete meses, e 51 estão dadas como desaparecidas, avança o The Tennessean. Os bebés, gémeos, foram arrastados pela corrente sem que o pai pudesse fazer nada para os salvar.

No sábado, uma súbita tempestade que apanhou a maior parte das pessoas desprevenidas fez subir o leito dos rios a grande velocidade. No condado de Hickman, as águas do rio Piney subiram quase dez metros, mais 3,5 metros do que o anterior recorde, de 2019.

“As pessoas estão encurraladas nas suas casas e não têm maneira de sair”, informou a delegação de Nashville do Serviço Meteorológico Nacional dos Estados Unidos. “A água chega ao pescoço. É catastrófico”, acrescentou. As autoridades locais dizem que em certas áreas a pluviosidade foi de 430 milímetros no espaço de 12 horas.

Equipas de resgate estavam a ir de casa em casa este domingo, sobretudo no condado de Humphreys, o mais atingido, para tentar encontrar as pessoas que estão dadas como desaparecidas.

Cortes de energia e falhas nas telecomunicações estão a dificultar a tarefa de localizar os desaparecidos, refere o mesmo jornal.

As autoridades decretaram o estado de emergência para os condados de Dickson, Hickman, Houston e Humphreys.

Este domingo, o xerife do condado de Humphreys, Chris Davis, dava conta dos 15 mortos já declarados, entre eles os dois bebés de sete meses, segundo o presidente da Câmara de Waverly, Wallace Frazier.

“Foi impressionante a rapidez com que chegou e a rapidez com que se foi embora”, disse o empresário Kansas Klein, de Waverly, que viu carros e casas inteiras a serem levadas pelas águas rua abaixo, citado pelo Guardian.

“Estava a pensar como é horrível ter perdido o meu restaurante, mas caminho um pouco, dou a volta à esquina e vejo que o bebé de alguém morreu”, acrescentou. “O meu restaurante não tem muita importância neste momento.