Os Elétricos de Lisboa

É realmente indesculpável que no último quartel do século passado se tenha acabado anonimamente e sem debate público com a mais bela rede europeia de elétricos, que no seu auge tinha tido 405 elétricos.

Foto
Miguel Manso

A abundância de transportes públicos de superfície e subterrâneos limpos, arejados, silenciosos, estáveis, isto é, seguros para pessoas idosas, e confortáveis, isto é, com mais lugares sentados que de pé, é condição sine qua non para uma fruição equilibrada das nossas cidades principais e para que os munícipes, seja qual for a sua origem social, deixem de hesitar em usá-los em detrimento do carro, o que de todo não é o caso actualmente mas poderia voltar a sê-lo no dia em que tivéssemos a humildade de reconhecer que foi um crime ter vendido ou doado mais de 350 eléctricos e 100 atrelados só em Lisboa.

Sugerir correcção
Ler 2 comentários