O “duplo manto de suspeição” da nova Presidente do tribunal Constitucional de Angola

Ao escolher Laurinda Cardoso para o lugar do demissionário Manuel Aragão, João Lourenço “terá de pagar um custo político muito alto”.

Foto
Tomada de posse da nova presidente do Tribunal Constitucional, Laurinda Cardoso, ao centro, na foto Ampe Rogério/LUSA

Numa altura em que a justiça é criticada pela oposição e por parte da sociedade civil em Angola, o Presidente João Lourenço parece ter resolvido confirmar as críticas ao nomear Laurinda Cardoso para presidente do Tribunal Constitucional (TC), uma juíza que tomou posse esta sexta-feira sob “um duplo manto de suspeição”, na definição do jurista Rui Verde, porque não só estava no Governo como faz parte do bureau político do partido no poder, o MPLA.