Clean Feed: 20 anos a errar com distinção

Fundada em 2001, a editora portuguesa não demorou a afirmar-se como uma das mais importantes casas para o jazz contemporâneo a nível mundial. É uma história improvável, duradoura e sob um lema que Pedro Costa gosta de repetir: wrong but strong. Nas próximas páginas visitamos também quatro protagonistas deste 20º aniversário.

Foto

Foi há pouco mais de duas décadas que “um puto de 30 anos” — como hoje o próprio se vê reflectido no espelho que mostra o passado —, munido de pouco mais do que vontade e desfaçatez, abordou dois músicos estabelecidos no circuito nova-iorquino da música improvisada propondo-lhes que viessem a Portugal gravar o primeiro disco de uma editora que ainda não existia. “Na verdade, qualquer um teria sido capaz de fazer a mesma coisa”, relativiza hoje Pedro Costa, em relação ao momento que fecundaria no nascimento da editora Clean Feed. “Em Nova Iorque estão sempre à procura de oportunidades para sair de lá.” Mas terá sido muito mais do que a promessa de uma viagem até Lisboa a cativar Lou Grassi e Steve Swell.