Psicotrópicos

As Férias Loucas de Barb e Star tem tudo para ser um filme de culto, e os seus alegres desvairos tornam-no na idiotice de Verão perfeita para desanuviar.

ipsilon-papel,cultura,ipsilon,critica,cinema,culturaipsilon,
Fotogaleria
As Férias Loucas de Barb e Star já começou a fazer culto
ipsilon-papel,cultura,ipsilon,critica,cinema,culturaipsilon,
Fotogaleria
As Férias Loucas de Barb e Star já começou a fazer culto
ipsilon-papel,cultura,ipsilon,critica,cinema,culturaipsilon,
Fotogaleria
As Férias Loucas de Barb e Star já começou a fazer culto
ipsilon-papel,cultura,ipsilon,critica,cinema,culturaipsilon,
Fotogaleria
As Férias Loucas de Barb e Star já começou a fazer culto
,Comédia
Fotogaleria
As Férias Loucas de Barb e Star já começou a fazer culto
Oração de Edgar
Fotogaleria
As Férias Loucas de Barb e Star já começou a fazer culto

Está aqui, quase de certeza, o próximo culto em câmara lenta da comédia americana, um filme que acaba por se tornar num referencial para gerações posteriores como o foram Wayne’s World, Austin Powers ou Anchorman. Saído das cabeças de Kristen Wiig e Annie Mumolo, responsáveis já pelo argumento de A Melhor Despedida de Solteira, pedra-de-toque da “comédia do desconforto”, As Férias Loucas de Barb e Star é um delírio profundamente taralhouco de comédia absurda em lume brando, sobre duas solteironas da América profunda que deixam para trás as suas vidas rotineiras para férias numa estância costeira na Flórida.

Sugerir correcção
Comentar