Com os Taliban no poder no Afeganistão, erradicação da poliomielite cai na incerteza

Em que moldes poderá continuar a vacinação, ou até se as mulheres, que têm um papel fundamental na campanha, poderão continuar a trabalhar, são ainda incógnitas

Foto
Crianças afegãs imunizadas na campanha de vacinação de Novembro de 2020 GPEI

A reconquista do Afeganistão pelos Taliban traz novas incógnitas para os planos de erradicação da poliomielite, a segunda doença humana que poderá ser erradicada, depois da varíola. Hoje em dia, é endémica apenas no Paquistão e no Afeganistão, e o mais recente plano estratégico da Iniciativa Global para a Erradicação da Poliomielite (GPEI na sigla em inglês) expressava o objectivo de fazer desaparecer a doença até 2026. “Por causa das incertezas e riscos sem precedentes que a parceria enfrenta, este calendário exigirá uma avaliação regular”, reconheceu o director do programa de erradicação da Poliomielite para a região da Organização Mundial de Saúde (OMS) do Mediterrâneo Oriental, com sede em Amã, Hamid Jafari.

Sugerir correcção
Comentar