Taxa de mortalidade por covid-19 subiu na última semana, mas Portugal desce para terceiro país da UE com mais mortes

Nos últimos 14 dias, Portugal registou 17,87 mortes por milhão e 324,32 casos de infecção por cem mil habitantes. É o sexto país com mais casos, e o terceiro com mais mortes por covid-19, no mapa semanal de risco do ECDC. O Algarve é a região com a maior incidência.

Foto
Manuel Roberto

Portugal recuou uma posição e é agora o terceiro país na União Europeia (UE) com maior taxa de mortalidade causada pela covid-19, revelam os dados mais recentes do Centro Europeu de Controlo de Doenças (ECDC, na sigla em inglês), divulgados esta quinta-feira, dia 12 de Agosto, juntamente com o habitual mapa de risco.

Na última semana, este indicador subiu de 15,83 para 17,87 mortes por milhão de habitantes a 14 dias, mas Portugal desceu uma posição. Permanece apenas atrás do Chipre, que apresenta 41,67 mortes por milhão de habitantes, e de Espanha, com 18,11. Na última actualização do mapa de risco, Portugal tinha permanecido na segunda posição na lista de países da UE com mais mortes, depois de subir de quarto para segundo nesta lista há duas semanas.

A Espanha saltou da quarta para a segunda posição na taxa de mortalidade por covid-19. No quarto lugar está a Grécia, com 16,51 mortes por milhão de habitantes a 14 dias.

Pela terceira semana consecutiva, o Liechtenstein e a Islândia não registaram qualquer morte, ficando nos últimos lugares da tabela, no que diz respeito à União Europeia.

Em Abril, Portugal chegou a registar a melhor marca da União Europeia, sendo o país com menos mortes diárias por covid-19 no bloco continental.

Incidência desce novamente

Portugal é o sexto país com maior taxa de incidência: o país registou 324,32 casos de infecção por cem mil habitantes a 14 dias. Esta descida permitiu a permanência no sexto posto na lista de países com maior número de infecções a 14 dias, em relação à semana anterior.

Também no número de casos o Chipre é líder pela negativa: este país apresentou 1985,14 casos por cem mil habitantes a 14 dias, o valor mais alto da UE. A Espanha volta a aparecer na segunda posição, desta vez em número de infecções, com 603,63 casos.

Acima de Portugal na lista do ECDC estão ainda a França (462,30), a Irlanda (392,17) e a Grécia (357,07).

A Polónia (5,12) e a Hungria (14,09) são os países na EU com menor número de casos por milhão de habitantes a 14 dias.

Portugal chegou já a surgir em primeiro lugar na tabela, ocupando a pior posição da UE, em Fevereiro, altura em que registava uma taxa de notificação de novos casos a 14 dias por cem mil habitantes de 1190. Pelo contrário, Portugal foi também, durante mais de um mês, entre meados de Março e o fim de Abril, o país da UE com a menor taxa de incidência de covid-19.

faixa etária dos 15 aos 24 anos continua a ser a que apresenta uma maior incidência de casos de covid-19 por cada cem mil habitantes em Portugal, registando actualmente 800 casos, de acordo com os dados da semana anterior (os mais recentes neste indicador). Seguem-se a dos 25 aos 49 anos (385), os menores de 15 anos (362), o grupo dos 50 aos 64 anos (173), os maiores de 80 anos (165) e o grupo dos 65 aos 79 anos (116).

Ao olhar para os dados por regiões, também respectivos à semana de 5 de Agosto, conclui-se que a região do Algarve era a que apresentava uma maior incidência a 14 dias, com 721 casos por 100 mil habitantes — razão pela qual aparece destacada a vermelho (indicador de 480 a 959,9 casos) no mapa cromático do ECDC.

A Área Metropolitana de Lisboa (que integra a região de Lisboa e Vale do Tejo) registava no início de Agosto 343 casos por 100 mil habitantes e o Norte não ficava muito atrás com 323, e por isso ambos estão representados a laranja escuro (240 a 479,9 casos) no mapa de risco. O Alentejo e a Região Autónoma dos Açores apresentam o mesmo esquema de cores, com incidências de 315 e 275, respectivamente. 

Já o Centro e a Região Autónoma da Madeira inserem-se no grupo laranja claro (120 a 239,9), com incidências a 14 dias de 214 e 164 casos por 100 mil habitantes, respectivamente.

Testagem a descer há três semanas

A taxa de testagem à covid-19 em Portugal fixou-se, na última semana, em cerca de 3829 testes realizados por 100 mil habitantes — trata-se de uma descida em comparação com a semana anterior, quando foram reportados 4321. O ritmo da testagem em Portugal está a descer há três semanas consecutivas.

Em contraciclo, a taxa de testes positivos subiu ligeiramente na última semana. Neste momento, a taxa de positividade fixou-se em 4,0% — precisamente o valor de referência de 4% usado a nível nacional e internacional. Na semana anterior tinha sido registada uma taxa de positividade de 3,9%. O valor da positividade mais elevado já registado em Portugal foi de 20%, no final de Janeiro.