“Eu sabia que haveria alguma reacção, não esperava é que fosse uma tentativa de assassinato”

O antigo líder da Liga Guineense dos Direitos Humanos escapou a um ataque contra a sua viatura em pleno dia em Bissau. Luís Vaz Martins tinha acusado o Presidente, Umaro Sissoco Embaló, de criar instabilidade no país com a sua “ignorância”.

Foto
O advogado Luís Vaz Martins, antigo presidente da Liga Guineense de Direitos Humanos Nuno Ferreira Santos

O advogado guineense Luís Vaz Martins, conhecido defensor dos direitos humanos, foi vítima de um ataque em Bissau quando seguia na sua viatura no regresso a casa, depois dos seus habituais comentários políticos e jurídicos de sábado na Rádio Capital. Um carro de vidros fumados tentou forçá-lo a sair da estrada, abalroando-o por três vezes, conta, em conversa telefónica com o PÚBLICO.