Ai Macau, se outros calam falemos nós!

Toda a oposição pró-democracia e crítica ao governo chinês está impedida de concorrer. As eleições de 12 de setembro estão reduzidas, inexoravelmente, a uma completa farsa.

A decisão do Tribunal de Última Instância de Macau, que confirma a exclusão da participação de cinco listas e vinte candidatos na eleição para o parlamento local, chegou. Sem surpresa.