Ordem dos Médicos reclama rápida revisão de parecer sobre vacinação de adolescentes. Norma da DGS ainda não está concluída

Bastonário Miguel Guimarães defende que a decisão da DGS está a criar “desigualdades brutais” entre as crianças e famílias que podem ir ao médico e ter acesso a uma prescrição para poderem ser vacinadas e as que não têm.

Foto
Rui Gaudencio

A Ordem dos Médicos (OM) contestou esta segunda-feira a decisão da Direcção-Geral da Saúde (DGS) que recomendou a vacinação contra a covid-19 dos jovens entre os 12 e os 15 anos com doenças de risco ou com indicação médica, considerando que “cria desigualdades” entre as famílias, e reclamou a rápida revisão deste parecer. A norma ainda não está publicada, mas a DGS adianta que será concluída “brevemente”.