Covid-19: oito mortes e 2306 casos em Portugal. Há 923 doentes internados

São mais 28 pessoas hospitalizadas que no dia anterior, sendo que 200 estão nos cuidados intensivos (mais cinco).

Foto
Paulo Pimenta

Portugal registou este sábado oito mortes por covid-19 e 2306 casos de infecção, de acordo com o boletim epidemiológico da Direcção-Geral da Saúde (DGS) divulgado neste domingo.

O total de vítimas mortais sobe assim para 17.369 e o de infectados ascende a 970.937 desde o início da pandemia.

O número de casos deste sábado é o mais baixo neste dia da semana desde 4 de Julho, quando se contaram 2041 em 24 horas. Continua assim a tendência decrescente face à semana anterior que se tem vindo a verificar desde dia 24 de Julho. No boletim do domingo passado contavam-se 2625 casos de infecção.

O relatório de situação actualizado indica que há 923 pessoas internadas, mais 28 que no dia anterior, sendo que 200 estão nos cuidados intensivos (mais cinco). Estes aumentos acabam por colocar os níveis dos internamentos semelhantes aos de há dois dias, anulando a descida registada na sexta-feira (e reportada no boletim de sábado).

Há mais 1500 recuperações, elevando o total de pessoas recuperadas para 903.514. Excluindo estes casos e os óbitos, Portugal conta agora 50.054 casos activos, mais 798, que correspondem a cerca de 5,2% dos casos identificados desde o início da pandemia. A taxa de letalidade é de 1,79%.

A região com mais casos identificados no sábado foi a região Norte, com 874 casos. Segue-se Lisboa e Vale do Tejo, com 770. Estas duas regiões somam 1644 casos, 71,3% do total nacional. De resto, foram identificados 241 casos no Algarve, 227 no Centro, 129 no Alentejo, 48 nos Açores e 17 na Madeira.

Lisboa e Vale do Tejo e Norte registaram também seis das oito mortes de sábado – cinco em Lisboa e Vale do Tejo e duas no Norte. O outro óbito aconteceu no Algarve.

Das oito vítimas mortais, sete foram pessoas com mais de 80 anos (cinco homens e duas mulheres), sendo que a outra morte foi uma mulher no grupo dos 70 aos 79 anos.

Os indicadores da matriz de risco, que servem para avaliar o avanço ou recuo no desconfinamento, só são actualizados nos boletins das segundas, quartas e sextas-feiras. Na matriz mais recente, o índice de transmissibilidade – o número de pessoas que são infectadas por alguém – desceu pela primeira vez desde 14 de Maio abaixo de 1, para 0,98 a nível nacional e continental. No balanço anterior, o R(t) era de 1,01 nas duas medições.

A incidência a nível nacional é actualmente de 419, 2 casos por 100 mil habitantes. Se tivermos em conta apenas os dados do continente está nos 439, 3 casos por 100 mil habitantes. 

Notícia alterada no dia 1 de Agosto às 22h30 com a correcção dos valores da incidência.