O “trauma secreto” que marcou a vida e a obra de W. G. Sebald

O conhecimento de que o pai, um soldado nazi, servira o regime de Hitler sem o questionar ensombrou a sua adolescência e explicaria o desespero que atravessa a sua escrita e a insistência no tema do Holocausto.

Foto

O pai de W. G. Sebald (1944-2001), que alguns consideram o mais importante escritor alemão da segunda metade do século XX, era um soldado nazi que combateu nas forças de Hitler durante a II Guerra Mundial. Carole Angier, cuja biografia do autor de Os Emigrantes e Austerlitz, será lançada pela Bloomsbury no próximo dia 19, defende que o conhecimento deste facto, e a incapacidade de levar os pais a falar do assunto, exerceu um profundo e traumatizante impacto sobre o jovem W. G. Sebald e está na origem das grandes questões presentes na sua escrita, do Holocausto aos tópicos recorrentes da perda e do exílio.